Stephen Hirtenstein

Apêndice 1 de O Compassivo Ilimitado – A vida e o pensámento espiritual de Ibn 'Arabi, Stephen Hirtenstein, tradução Regina Araujo. Reprodução com a permissão da Editora Fissus Ltda., Rio de Janeiro.

© Stephen Hirstenstein.

This article is also available in English, Selected major works of Ibn 'Arabi.

Also in Portuguese: De Volta a Deus (1182-1184), Capítulo 5 de O Compassivo Ilimitado – A vida e o pensámento espiritual de Ibn 'Arabi, Stephen Hirtenstein.

Seleção das maiores obras de Ibn 'Arabī

Ibn 'Arabī escreveu pelo menos 350 obras, que compreendem desde o ex­tenso Futūhāt al-Makkiyya, que tem milhares de páginas em árabe, até inú­meros pequenos tratados de algumas poucas páginas. A seguinte seleção foi realizada a partir daqueles que podem ser considerados seus principais trabalhos e que podem dar uma visão geral ao leitor não especialista no as­sunto. Foi elaborada com base no que é freqüentemente mencionado em seus escritos e é encontrada em forma impressa, mas deve-se ter sempre em mente que de forma alguma é uma lista completa. A classificação de suas obras em dois volumes, compilada por Osman Yahia em 1964, Histoire et Classification de l'Oeuvre d' Ibn 'Arabī, é a primeira e, até agora, a única tentativa de avaliar a extensão dos escritos de Ibn 'Arabī, mas por falta de tempo e de meios este inventário é cheio de omissões.

A presente seleção está ordenada em títulos curtos e numa aproximada ordem cronológica, embora algumas destas obras tenham levado muitos anos para serem escritas e algumas tenham sido reescritas.

Mashāhid al-asrār al-qudsiyya
Contemplações dos Mistérios Sagrados

Escrito em 1194 (590), na Andaluzia, ao retornar de sua primeira visita a Túnis e dedicada aos discípulos do shaykh 'Abd al-'Aziz al-Mahdaqī e ao seu primo por parte de pai, 'Ali b. al-'Arabī. Descreve uma sucessão de 14 contemplações, em forma de diálogos com Deus e visões divinas.

Al-Tadbīrāt al-ilāhiyya
O Governo Divino

Escrito em quatro dias, esta obra foi provavelmente composta, pela pri­meira vez, antes do Mashāhid, porém reescrita posteriormente. Enquanto estava hospedado na casa do shaykh al-Mawrūrī, em Moron (Andaluzia), escreveu esta obra como resposta a um pedido do shaykh para que expli­casse o real significado da política secular, em termos da exposição sufi de governo do império humano (isto é, o microcosmo que resume o macro-cosmo).

Kitāb al-Isrā'
Livro da Jornada Noturna

Uma das mais importantes de suas primeiras obras escrita depois de sua grande experiência visionária em Fez, em 1198 (594). Descreve, em pro­sa rimada, sua mística ascensão, encontrando as realidades espirituais dos profetas nos sete céus e sendo levado à mais completa realização de sua própria realidade.

Mawāqi' al-nujūm
Os Engastes das Estrelas

Escrito em 11 dias em Almería, em julho de 1199 (Ramadã, 595), para seu companheiro e discípulo Badr al-Habashī. É tido como o livro que explica o que todos os mestres espirituais precisam para ensinar; descreve os três graus de renúncia (islām), (īmān) e verdadeira bondade (ishān), de acordo com os três níveis de realização. Inclui uma detalhada discussão de como todas as faculdades e membros do homem participam do louvor Divino.

'Anqa' Mughrib
O Fabuloso Grifo do Oeste

Provavelmente a última das obras compostas na Andaluzia, escrita por volta de 1199 (595) durante seu último ano na Espanha. A obra descreve em prosa rimada o significado da estação do Mahdi e do Selo dos Santos, como também o estágio da realidade muhammadiana. Foi feito com a intenção de ser um volume que acompanhasse o Tadbīrāt.

Inshā' al-dawā'ir
A Descrição dos Círculos Abarcantes

Escrito em 1201 (598), em Túnis para ambos Badr al-Habashī e al-Mahdawī, bem antes de deixar o Ocidente e ir para Meca. Descreve os fundamentos de sua metafísica, discutindo a existência e a não existência, a manifestação e a não manifestação, como também o estágio do ser hu­mano no mundo, usando diagramas e tabelas.

Mishkāt al-anwār
O Nicho das Luzes

Composto ao longo do ano de 1202/3 (599) em Meca. Encerra uma co­leção de 101 hadīth qudsī dizeres divinos), em três partes: quarenta tradi­ções com uma completa transmissão que volta até Deus, quarenta dizeres divinos sem uma corrente de transmissão e 21 outras. O trabalho em si é voltado à tradição que recomenda a prática da preservação de quarenta hadīths para a comunidade.

Hilyat al-Abdāl
O Adorno dos Substitutos

Escrito em 1203 (599), no espaço de uma hora, durante a visita a Ta'if, para Badr al-Habashī. Descreve os quatro fundamentos da Via: reclusão, silêncio, fome e vigília, como eles aparecem em termos físicos, como um tipo de abstinência, e como são em sua realidade espiritual como condi­ções do coração do servo.

Rūh al-quds
A Epístola do Espírito da Santidade

Escrito em 1203 (600), em Meca, para o shaykh al-Mahdawī, é uma das melhores fontes para conhecermos a vida de Ibn 'Arabī na Andaluzia e as pessoas que conheceu. Contém três partes: uma reclamação sobre a falta de compreensão de muitas pessoas que praticam a Via Sufi, uma série de textos biográficos de mais ou menos cinqüenta sufis do Ocidente, e uma discussão das dificuldades e dos obstáculos encontrados na Via.

Tāj al-rasā'il
A Coroa das Epístolas

Escrito em 1203 (600), em Meca, contém oito cartas de amor compostas para a Caaba, cada uma correspondendo a uma teofania do Nome Divino, que apareceu durante o ritual dos giros.

Tanazzulāt al-Mawsiliyya
Descidas da Revelação em Mosul

Escrito em 1205 (602) em Mosul, descreve os segredos esotéricos dos ritos sagrados, ablução e oração, e como cada fase desses ritos diários está repleta de significado.

Kitāb al-Jalal wa'l-Jamāl
O Livro da Majestade e Beleza

Escrito em um dia, no começo de 1205 (601), em Mosul, discute vários versos alcorânicos em termos de dois aspectos aparentemente opostos, Majestade e Beleza, aludindo ao terceiro aspecto que os integra, o equilí­brio da Perfeição.

Kitāb Kunh mā lā budda lil-murīd minhu
O que é Essencial para o Buscador

Também escrito no começo de 1205 (601), em Mosul, delineia as práticas essenciais para alguém que está abraçando a Via espiritual, em termos de manter-se firme na Unidade de Deus, de ter fé naquilo que os Mensagei­ros trouxeram, de praticar o dhikr, de encontrar um verdadeiro mestre espiritual etc.

Ishārāt al-Qur'ānfī 'alam al-insān
Alusões do Alcorão no Mundo Humano

Escrito em Malatia, na primavera de 1205 (601), foi concebido como um volume que acompanhava o Tanazzulāt al-Mawsiliyya. Muito além de uma simples apresentação de passagens alcorânicas, é uma meditação ampliada de cada sura do Livro.

Risālat al-Anwār
Tratado das Luzes

Escrito no verão de 1205 (602), em Konia, em resposta ao pedido de um amigo e companheiro para que explicasse a jornada da ascensão ao Senhor do Poder e o retorno às criaturas. Descreve a busca espiritual em termos de uma ascensão contínua pelos vários níveis da existência e da sabedoria, levando ao nível da perfeição humana.

Kitāb al-Alif [ou da Unicidade], Kitāb al-Bā', Kitāb al-Yā' [ou da Ipseidade], etc.

Uma série de pequenos trabalhos, usando um sistema de numeração alfabética, começada em Damasco, em 1205 (602) e composta durante três anos ou um pouco mais. Estes trabalhos discutem uma série de diferentes princípios Divinos, tal como a Unicidade (ahadiyya), Compaixão (rahma) e Luz (nūr).

Kitāb Ayyām al-sha'n
Os Dias da Obra de Deus

Composto por volta, ou um pouco antes de 1207 (603), esta obra é uma meditação sobre a estrutura do Tempo e os modos pelos quais as horas e os dias da semana se inter-relacionam. Tem seu fundamento no verso alcorânico "Cada dia Deus está em obra".

Kitāb al-Tajalliyāt
Livro das Teofanias

Escrito um pouco antes de 1209 (606), em Alepo, descreve uma série de visões teofânicas, sobre assuntos como Perfeição, Generosidade e Com­paixão, baseadas nos insights da segunda sura do Alcorão. Estas visões fre­qüentemente envolvem diálogos com santos que já morreram, tais como Hallāj, Junayd ou Sahl al-Tustarī. O objetivo da obra é instruir o buscador sobre o que pode acontecer em sua jornada.

Kitāb al-Fanā'fī'l-mushāhada
Livro da Aniquilação em Contemplação

Escrito em Bagdá, provavelmente durante sua segunda estadia lá, em 1212 (608). É uma meditação ampliada sobre a sura 98, descrevendo a experi­ência da visão mística e a diferença entre as pessoas do real conhecimento e as pessoas do intelecto.

Tarjumān al-ashwāq
Intérprete dos Desejos Ardentes

Compilado em 1215 (Ramadã de 611), em Meca, embora tenha sido escri­to durante um longo período, com um subseqüente comentário composto posteriormente, no mesmo ano, em Alepo. Contém 61 poemas de amor, dedicados a uma pessoa, Nizām, aludindo aos segredos reais do amor místico e da herança profética.

Istilāhāt al-sūfiyya
Termos Técnicos Sufis

Escrito em 1218 (615), em Malatia, em resposta a um pedido de um queri­do amigo e companheiro. Contém 199 breves definições das mais impor­tantes expressões de uso comum entre as pessoas de Deus.

Kitāb al-Isfār
O Desvelamento dos Efeitos da Jornada

O dia e o lugar da composição não são conhecidos. A obra é uma medita­ção sobre o significado da jornada espiritual em geral e das jornadas dos profetas, em particular. Estas jornadas não têm fim, neste mundo e nos próximos, e são descritas como "um lembrete do que você esqueceu que está dentro de você e em sua posse".

Kitāb al-'Abādilah
O Livro dos Servos de Deus

Escrito antes de 1229 (626), provavelmente em Damasco. Contém 117 partes dedicadas a indivíduos chamados 'Abd Allāh, cada um descrito como sendo o "filho" de um particular Nome Divino e de um profeta. Aparentemente a obra tem relação a um hadīth que diz que um homem possui 117 características, e explica a realização destas características em termos dos Nomes Divinos.

Fusūs al-Hikam
Os Engastes da Sabedoria

Escrito depois da visão do Profeta, em 1229 (627), em Damasco, e de acordo com a ordem (do Profeta) de que deveria ser escrito. Conside­rado o supra-sumo do ensinamento espiritual de Ibn 'Arabī, contém 27 capítulos, cada um dedicado ao significado espiritual e à sabedoria de um profeta particular. Os 27 profetas, começando por Adão e terminando com Muhammad, são como os engastes de um anel, que abriga a pedra preciosa da Sabedoria e representa todas as diferentes comunidades da humanidade, sob a jurisdição espiritual de Muhammad, seu Selo.

Fihrist al-mu'allafāt
Catálogo de Obras

Escrito em 1229/1230 (627) em Damasco, para Sadruddīn al-Qūnawī, este é o próprio catálogo de Ibn 'Arabī de 248 obras que ele tinha escrito anteriormente a esta data.

Ijāza lil-Malik al-Muzaffar
Certificado para o rei al-Muzaffar

Escrito em 1234 (632), em Damasco, para o governante aiúbida da cidade, rei Ashraf al-Muzaffar. Menciona umas 290 obras e setenta de seus mestres.

Kitāb Nasab al-khirqa

A Linha do Manto da Iniciação) A data e o lugar de composição são incertos, mas provavelmente foi em 1236 (633), em Damasco. Descreve sua própria afiliação espiritual e como ele veio para a Via. Também inclui as iniciações que fez aos outros, sendo a maioria dos mencionados mulheres.

Awrād al-usbū'
Orações para a Semana

A data e o lugar de composição não são conhecidos, embora tenham sido provavelmente compostas durante vários anos. Das muitas diferentes ora­ções atribuídas a Ibn 'Arabī e ainda hoje extensivamente usadas, estas são talvez as mais conhecidas. São organizadas para cada dia e noite da se­mana, perfazendo um total de 14, escritas para recitação privada e para meditação.

Al-Dīwān al-kabīr
O Grande Diwan

Escrito durante um período de muitos anos, e parece que não completada até 1237 (634), em Damasco, esta vasta coleção de poemas tinha aparente­mente a intenção de conter toda a poesia que tinha escrito e que pode ser encontrada em vários manuscritos diferentes. Alguns, intitulados Dīwān al­ma 'ārif, incluem uma introdução que descreve a visão que o levou a escre­ver poesia e uma dedicação a Badr al-Habashī. A edição impressa, baseada num diferente manuscrito, parece ser apenas 1 volume da obra toda.

Al-Futūhāt al-Makkiyya
As Iluminações de Meca

Seu magnum opus, foi iniciado em Meca em 1202, depois de uma visão do Jovem, e completado, em sua primeira versão de vinte volumes em manus­crito, em dezembro de 1231 (629). Uma segunda versão, em 37 volumes, foi completada em 1238 (636). Contém 560 capítulos, em seis partes, e tinha evidentemente a intenção de ser um tipo de "epítome espiritual" do Islã, cobrindo o período total de 560 anos, do início da era islâmica até seu próprio nascimento. Estas são exposições detalhadas de cada faceta da vida espiritual, incluindo comentários inspirados sobre cada sura do Alco­rão, explicações de Hadīth, jurisprudência, cosmologia e metafísica.